Casa Inteligente

Casa inteligente – o que é e como a tecnologia pode estar presente em sua casa

As casas inteligentes, também conhecidas como smart houses, são residências onde se utiliza a automação para o controle de tarefas, de acordo com as necessidades do morador. 

A ideia de automação residencial faz parte do conceito de “Internet das Coisas (IoT)”, que possibilita recursos extras aos objetos por meio da conexão com a internet. Em outras palavras, uma casa inteligente possui um sistema integrado de dispositivos inteligentes que dão “vida” aos objetos.

Muito além de apagar e acender luzes

A criação do protocolo X-10, em 1975, é um marco na história da automação pois possibilitou o controle de dispositivos por meio do envio de sinais digitais codificados na rede elétrica.

Mas foi a partir do ano 2000 que a automação, de fato, começou a ser pensada para ambientes residenciais. O surgimento de empresas como a SmartThings e a Nest Labs, posteriormente comprada pela Google, demonstra a preocupação em simplificar a tecnologia para o usuário final. 

Atualmente, a automação residencial para a criação de casas inteligentes não depende apenas das redes de energia elétrica, pois as informações também são difundidas por sensores. Em 2015 foi lançado o AppleCasa e, logo após, o Google Home, que possibilitam o gerenciamento da moradia por smartphones.

O controle de luzes, de câmeras, e a automação do sistema de som e vídeo são as funcionalidades mais procuradas na tecnologia da automação residencial.

No entanto, há outras inúmeras opções disponíveis no mercado que possibilitam uma personalização realmente focada nas necessidades do morador. Algumas dessas opções são:

  • Automação e controle de automação;
  • Áudio e vídeo multiroom;
  • Monitoramento de câmeras;
  • Automação de sistema térmico, como ar-condicionado e aquecimento para piso;
  • Aspiração central;
  • Cabeamento estruturado, para internet de qualidade em vários pontos da residência;
  • Automação de persianas;
  • Controle de acesso das portas.

Instalação e interfaces para comando de casas inteligentes

A instalação de sistemas para automação residencial pode ser feita de várias maneiras: por meio de dispositivos centrais instalados no quadro de energia, de sensores com conectividade wi-fi/wireless e até mesmo pela instalação de dispositivos isolados com conexão interligada.

Os comandos para que todo o sistema funcione podem ser gerados por tela touchscreen, sensores, comando de voz, teclados inteligentes instalados em pontos estratégicos da residência, entre outros.

Vantagens de uma casa inteligente

O conforto é um dos principais objetivos de quem deseja ter uma casa inteligente. Facilidades como acionamento de funções a distância, criação de parâmetros automatizados e rotinas a serem seguidas pelos equipamentos têm conquistado adeptos no mundo todo.

Outra vantagem é a economia de energia, afinal o ajuste de programações para a eficiência máxima dos equipamentos e a análise de consumo são possíveis até mesmo para a utilização da água.

A segurança também é um ponto que apresenta muitas vantagens. A possibilidade de controlar, mesmo longe da residência, o recebimento de alertas de tentativas de acesso ou o movimento em sua casa faz toda a diferença.

Quando esses três pontos indicados são pensados em conjunto, o projeto de automação para uma casa inteligente é mais eficiente.

Dicas e cuidados para implantar sistemas de automação

  • Observar a interoperabilidade e a compatibilidade entre os dispositivos, tanto os já existentes na casa como os que serão adquiridos.
  • Em caso de redes de dispositivos muito grandes, é interessante segmentá-las em configurações separadas, por meio da criação de senhas diferentes, por exemplo. Da mesma maneira, criptografar as informações é um método de segurança contra ataques externos.
  • Para a economia real da energia consumida, é importante que os aparelhos tenham sensores e/ou limitadores de energia.
  • Examinar e testar o sistema com frequência evita falhas e previne problemas. Especialistas recomendam que esses testes sejam feitos uma vez por mês.

Fique atento ao escolher as funcionalidades que serão instaladas, afinal, uma casa pode apresentar as tecnologias do último lançamento, mas, se não estiverem focadas nas necessidades de quem mora, não é, de fato, uma casa inteligente.